JBS

Estratégia e Vantagens Competitivas

Estratégia

Pilares para a Estratégia

Para atingir seus objetivos, a companhia se apoia nos pilares estratégicos descritos a seguir:

Cultura JBS

Os colaboradores da JBS são o principal pilar da Cultura da Companhia. São eles que, por meio de suas atitudes e decisões, irão materializar os valores da Companhia e as crenças que norteiam sua atuação. Zelar pela Cultura, na JBS, é uma questão fundamental para os negócios.

Para isso, a JBS tem investido em campanhas internas para disseminar e cultivar a sua cultura corporativa aos mais de 235 mil colaboradores da empresa – muitos deles oriundos de outras companhias adquiridas pela JBS. As campanhas valorizam o jeito de ser e os valores que permeiam o dia-a-dia na JBS.

Compra Responsável

Independentemente do mercado em que a JBS atue, suas operações seguem rigorosos critérios para a seleção de fornecedores de matérias-primas. Além das compras serem realizadas em conformidade com as respectivas políticas adotadas, são condicionadas a boas práticas socioambientais e à conformidade com legislação fiscal, tributária, trabalhista e ambiental.

A JBS Carnes (Brasil) não adquire animais de fazendas envolvidas com desmatamento de florestas nativas, invasões de terras indígenas ou de conservação ambiental e que estejam embargadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Também veta fornecedores que façam uso de trabalho escravo ou infantil. Esses princípios estão estabelecidos na Política de Compra Responsável de Matéria Prima adotada pela Empresa.

A Seara realiza visitas técnicas e de sanidade antes e durante qualquer compra e homologação de novos fornecedores, dos quais é exigida a licença ambiental, além de fazer as devidas checagens, em campo, do que é estipulado nos contratos.

Na Moy Park, o processo de aprovação de novos fornecedores inclui pré-qualificação, na qual todas as empresas devem cumprir com requisitos ambientais estabelecidos pela Companhia, e aprovados pelo Departamento de Qualidade. Todos os fornecedores de aves, por exemplo, devem ser certificados pelo British Retail Consortium (BRC) ou equivalente, como IFS ou FSSC 22000. Já os fornecedores de produtos à base de carne, devem ter, no mínimo, certificação expedida pelo Red Tractor ou equivalente. Aspectos relacionados a trabalho forçado ou análogo ao escravo ou infantil também são observados na contratação de fornecedores.

Na JBS USA e na Pilgrim’s, todos os fornecedores devem fornecer uma declaração do British Retail Consortium (BRC), o que garante que as empresas são auditadas anualmente nos quesitos segurança e qualidade. Os fornecedores também são submetidos ao ISNetworld, que avalia os fornecedores em critérios relacionados a qualidade dos produtos e segurança ocupacional.

A JBS USA está desenvolvendo um Código de Conduta de Fornecedores, documento que abrangerá questões como direitos humanos, trabalho forçado, liberdade de associação e negociação coletiva, além de saúde e segurança, Bem-Estar Animal, questões ambientais e integridade empresarial, entre outros temas.

 

Redução de Custos e Ecoeficiência dos Processos

Reduzir custos de produção por meio da melhoria dos processos da sua cadeia produtiva é uma obsessão para a JBS, que possui um compromisso com a melhoria contínua de seus processos que transcende os limites de suas operações e chega até seus fornecedores. Nas suas atividades, a companhia conta com um plano de investimentos em melhorias técnicas e ambientais que inclui a priorização no uso de tecnologias que visem aproveitar melhor a matéria prima e mitigar os impactos ambientais, além de otimizar o uso de recursos naturais. Na cadeia de fornecimento, a companhia apoia projetos como o Programa Novo Campo, que promove práticas sustentáveis e de aumento de produtividade em fazendas de pecuária na Amazônia com o objetivo de desenvolver um novo modelo de atuação, que preserve os recursos naturais e que traga resultados financeiros benéficos para os produtores da região.

Controle de Qualidade

O compromisso da JBS, com clientes e consumidores, é oferecer produtos que respeitem os mais altos padrões de segurança alimentar e qualidade. Para isso, desenvolve um extenso trabalho em diferentes frentes:

Gestão da cadeia de valor: adota princípios de sustentabilidade desde a origem da

 

matéria-prima, o que inclui a compra responsável de proteínas e a capacitação de fornecedores.

Qualidade e segurança dos alimentos: pesquisas em laboratórios e cuidado para que todas as operações estejam em linha com o que há de mais moderno em termos de exigências regulatórias e certificações.

Rotulagem: 100% dos produtos da JBS atendem às diferentes exigências de rotulagem, conforme determinam as legislações dos mercados em que está presente. No Brasil, por exemplo, apresentam o selo de Serviço de Inspeção Federal (SIF), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Nos Estados Unidos, todos os produtos carregam o selo de inspeção do “United States Department of Agriculture, Food Safety and Inspection Service (USDA, FSIS).

Certificações: Reconhecimentos, conferidos por terceiros, das boas práticas, processos e rotinas adotadas pela JBS. Além de assegurarem a qualidade e a efetividade das rotinas adotadas pela Companhia, tais certificações permitem o acesso dos produtos a mercados internacionais.

QUALIDADE É A MAIOR PRIORIDADE DA JBS E DE SUAS MARCAS

A JBS não tolera qualquer desvio de qualidade em seus processos industriais. Também está altamente comprometida com a segurança alimentar e com a qualidade de seus produtos, aprimorando constantemente as práticas sanitárias.

  • As fábricas da JBS exportam para mais de 150 países, como Estados Unidos, Alemanha e Japão. São anualmente auditadas por missões sanitárias internacionais e por clientes.
  • A JBS é a companhia brasileira com mais certificações BRC (British Retail Consortium), principal referência global em qualidade na produção de proteína. Entre outras certificações, a empresa segue os padrões ISO 9001, de gestão de qualidade.
  • Nos últimos dois anos, as unidades globais da JBS receberam mais de 800 auditorias de qualidade e atuaram com o mesmo zelo para assegurar igual comprometimento de seus fornecedores.
  • A JBS conta, no Brasil, com mais de 2 mil profissionais dedicados exclusivamente a garantir a qualidade dos seus produtos. Por ano, cerca de 70 mil funcionários passam por treinamento obrigatório nessa área.
  • Seu sistema rigoroso de controle de qualidade dá ao setor credibilidade perante o consumidor e reforça as oportunidades de exportação.

Transparência & Comunicação no Diálogo com Stakeholders

A JBS segue as melhores práticas de governança corporativa – incluindo a transparência e a equidade na divulgação das informações – o que qualifica a companhia para integrar o segmento Novo Mercado da B3. Entre essas práticas, estão a divulgação pública das suas emissões globais de Gases de Efeito Estufa (GEE) por meio da plataforma internacional Driving Sustainable Economies (CDP) e do Programa Brasileiro GHG Protocol, além da participação da companhia na carteira do Índice Carbono Eficiente (ICO2) da B3 desde 2009. Na plataforma do Driving Sustainable Economies (CDP), além das informações de Mudanças Climáticas, a JBS também divulga suas estratégias e ações para os temas Água e Desmatamento.

Para dar transparência e garantir o cumprimento do seu compromisso com a origem sustentável de sua matéria-prima e a gestão da cadeia de fornecedores, a JBS publica anualmente em seu website um relatório de auditoria de seu Sistema de Monitoramento das Fazendas Fornecedoras de Matéria Prima (bovinos). Essa auditoria é realizada por empresa de auditoria independente.

A JBS publica ainda, anualmente, seu Relatório Anual e de Sustentabilidade, com informações sociais, econômicas e ambientais aderente às Diretrizes da GRI, reforçando o compromisso com as boas práticas de governança e com a adoção de práticas sustentáveis às suas operações.

Vantagens Competitivas

Liderança de mercado e escala

A JBS é a maior empresa de proteína animal e a segunda maior empresa de alimentos do mundo. Por conta de seu porte, tem acesso aos principais mercados mundiais, com ganhos de escala, otimização da produção, redução de custos fixos e uma posição privilegiada para negociar preços de compra e venda com seus fornecedores e clientes.

Distribuição geográfica

A JBS possui plataformas de processamento localizadas nos principais países produtores de proteína animal, o que proporciona à empresa diversificação geográfica, flexibilidade operacional e mitigação de riscos relacionados a eventuais restrições sanitárias ou barreiras comerciais. Para atender aos mais diversos tipos de clientes, a JBS conta com uma ampla rede nacional e internacional de vendas e distribuição, além de Centros de Distribuição e Escritórios Comerciais nas principais regiões consumidoras ao redor do mundo.

As exportações da JBS abrangem uma grande diversidade geográfica e atingem a mais de 150 países, o que permite à companhia reduzir a exposição a mercados individuais ao mesmo tempo em que tem acesso a todos os mercados consumidores.

Histórico de sucesso em aquisições

Na sua história, a JBS realizou importantes aquisições. Dentre elas, destacam-se a Swift, a Smithfield Beef, a Five Rivers, Tasman Group, Pilgrim’s Pride, Bertin, Seara, Grupo Primo Smallgoods, as operações de aves da Tyson no Brasil e no México, Moy Park, a unidade de suínos da Cargill nos EUA, a Gold’n’Plump e a Plumrose. Essas aquisições permitiram um crescimento substancial em seus resultados na medida em que a companhia obteve sucesso na integração das empresas adquiridas e na captura de sinergias, o que acarreta em um rápido ganho de eficiência e a comprovação da capacidade da administração da JBS em realizar o turnaround de empresas.

Administração experiente e especializada no setor

A JBS conta com uma equipe de gestores experiente e com conhecimento de mercado, focada no crescimento das vendas, na otimização dos recursos e no aumento da eficiência das operações. Atualmente a JBS é altamente profissionalizada e cada unidade de negócio possui uma administração própria. A seleção dos executivos é realizada considerando a experiência no setor e o alinhamento do profissional com os valores da companhia, como atitude de dono e foco no resultado.

Última atualização em 2 de abril de 2020.
Close